A Uroginecologia é uma sub-especialidade da ginecologia que trata da função pélvica feminina. O conhecimento profundo do assoalho pélvico feminino e sua relação com os órgão subjacentes como o útero, bexiga e reto (parte final do intestino) permite ao uroginecologista avaliar e tratar com êxito disfunções miccionais tais como bexiga hiperativa, incontinência urinária de esforço, infecções urinárias de repetição.

– bexiga hiperativa: Bexiga hiperativa é caracterizada pela associação de alguns sintomas: urgência urinária, com ou sem incontinência associada, geralmente acompanhada de aumento de frequência e noctúria (incontinência urinária noturna).

Para o seu diagnóstico é fundamental afastar infecção urinária, condições metabólicas ou outras doenças que podem disfarçar o quadro clínico de bexiga hiperativa

– incontinência urinária de esforço: é a perda de urina quando a mulher faz algum esforço como tossir, espirrar, ou praticar atividade física. É causada por uma falha no fechamento do canal da urina, em graus variados, grande parte das vezes por fraqueza muscular.

Em muitos casos, os sintomas se confundem e sobrepõem, sendo necessário uma conversa franca com o ginecologista, e um bom exame físico. Um exame chamado urodinamica- que avalia a função da bexiga e o fluxo da micção pode se tornar necessário para o diagnóstico correto.

Além disso, disfunções anatômicas como prolapsos genitais e sua correção  também entram no âmbito das competências do uroginecologista.

O uroginecologista consciente e atuante, compreende a necessidade da avaliação e do tratamento multidisciplinar que poderá envolver urologistas, fisioterapeutas pélvicos especializados em uroginecologia,  médico proctologista e enfermagem especializada em disfunções do assoalho pélvico.

Trata-se de uma área delicada, que lida com estética e saúde feminina. É importante que as mulheres estejam bem informadas de que prolapsos e incontinência urinária podem acontecer, não são motivo de vergonha e têm tratamento quando se procura um médico especializado.

Também é o profissional mais apto a realizar cirurgias vaginais minimamente invasivas tais como histerectomia vaginal (remoção do útero por via vaginal), ooforectomia vaginal (remoção dos ovários por via vaginal), ligadura das trompas por via vaginal, correção de incontinência urinária de esforço com tela sintética, reconstrução vaginal com correção de prolapsos anteriores, posteriores e apicais, como o prolapso uterino.

As sequelas decorrentes do trauma obstétrico também podem ser sanadas por esse especialista: lacerações obstétricas profundas ou episiotomias podem cursar com fibrose vaginal, cicatrizes hipertróficas, incontinência urinária, fecal, e dor na relação sexual.